4 de set de 2011

A verdadeira verdade


Dizem que nós não possuímos lembranças, mas sim, conjecturamos sobre os acontecimentos de nossa trajetória. Ainda mais se eles aconteceram na sua primeira década de vida. Afinal, será que mesmo o homem mais inteligente de todos os tempos conseguiu ter cem por cento de veracidade em suas lembranças? É por isso que começo a escrever minhas histórias na busca por eventos não imaginados por mim, porém baseados nas conjeturas de outros a respeito dos fatos. Acho que assim podemos ser sinceros conosco mesmo sobre a “verdadeira verdade”. Parece mentira! Mas até nossas próprias histórias devem ser contestadas e reaprendidas. Devem ser meditadas, revividas, para então ser contadas novamente com a singularidade que cada uma delas tem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário