4 de abr de 2010

Tetraplegia e o sabor do chocolate - minha crônica de páscoa

        Vou compartilhar essa história com todos vocês, pois as histórias da vida real, são muito mais preciosas do que as da novela. Hoje, mais uma vez fui até o leito 8 da UTI para atender o paciente C.C., um senhor de uns 50 e poucos anos, muito querido, e com uma historia comovente.
       Fiquei com uma vontade de perguntar para ele detalhes sobre essa história, mas não tive coragem. Talvez amanhã eu faça isso.  O que consta nos  "AUTOS" , ou seja, no prontuário é que ele era um usuário de cocaína, imagino que tenha sofrido muito com  o vício. Sua historia ainda prorroga-se por mais um capítulo trágico.... ele caiu e fraturou o pescoço numa região muito alta da medula (C4-C5) e ficou tetraplégico, inclusive dependente de aparelhos para respirar pelo resto da vida. Fora a disautonomia que está quase o matando e levando o seu coração a ter paradas repetidas vezes. Os médicos estão preocupados com ele, afinal,esse quadro pode levar a morte a qualquer momento.
      Mas vocês acham que ele é daquelas pessoas antipáticas, de mal com a vida, sem sonhos, sem alegrias, sem sorrisos e sem relacionamentos saudáveis? Negativo! Este homem é um lição de vida. Não o conheci nas drogas, mas tudo indica que ele  não tinha motivos pra viver quando estava lá. Tenho até receio de perguntar a ele sobre esse assunto. O fato é que ele está vivendo seus pequenos momentos intensamente. Está vivendo intensamente a companhia das pessoas ao seu redor - de seus familiares, seus novos amigos na UTI, seus velhos amigos também - enfim, tudo na vida pra ele são momentos alegres.
      Hoje ele me perguntou quando vai sair do respirador, ai eu engasguei e disse que isso não seria possível agora e que não era o momento de pensar a respeito. NAO TIVE CORAGEM DE DIZER a ele que isso, aos olhos humanos, não mais seria possível, nunca mais. Ele não voltou a perguntar sobre o assunto. Mais tarde me pediu para colocar um chocolate em sua boca:
        - Mas seu C. eu não posso fazer isso, vc está no respirator? - disse a ele.
        E ele então com uma carinha de cachorro pidão insistiu.  Eu com meus pensamentos voltados em sua necessidade te ter aquele prazer,  que todos estavamos podendo desfrutar naquele momento, mas que ele, além de várias outras limitações não poderia obter, se não por meu intermédio, resolvi colocar um MICRO pedaço de chocolante em sua boca. E para minha alegria, sua face brilhou de satisfação, e sua gratidão foi imensa.
       Poxa vida, por que nós seres humanos ainda insistimos em valorizar apenas o que é MACRO e achar que o MICRO é apenas o nosso cotidiano sem fim? Aprendi que, valorizar a vida com as suas pequenas coisas, e com o que ainda lhe resta de bom é DOM de Deus, é divino, pois o milagre da vida vem Dele, e o milagre de uma nova vida também.
        Garanto prá vocês que volto a escrever sobre ele, se ele me contar se agora ele é mais feliz num leito de hospital do que aprisionado num vício de uma cocaina, por hoje, fico com a certeza, de que  Deus traz o recomeço para todos os que com unhas e dentes buscam a felicidade.